16 de junho de 2013

Curta | O Guarda-Chuva Azul

O GUARDA-CHUVA AZUL

O Guarda-Chuva Azul é um filme lindo. Desde os primeiros segundos, quando paisagens urbanas noturnas são registradas pelas câmeras virtuais ligeiramente instáveis dos estúdios Pixar com uma profundidade de campo reduzida, que compromete o efeito 3D e ressalta as texturas dos cenários, é possível notar o enorme apuro técnico e estético do estúdio de animação - e, em vários momentos, suspeitei que apenas alguns poucos elementos de cena eram criados com computação gráfica, inseridos em cenários reais. Por tudo isso, é extremamente decepcionante que o curta seja tão medíocre do ponto de vista narrativo.

Dirigido por Saschka Unseld e exibido antes das cópias de Universidade Monstros nos cinemas, O Guarda-Chuva Azul exibe a alegria discreta de vários componentes de uma paisagem urbana com a chegada de uma pancada de chuva - o que, rápida e naturalmente, induz os transeuntes a abrirem seus guarda-chuvas. Em meio a um oceano de lonas pretas, dois guarda-chuvas se destacam: um azul e um vermelho, que demonstram curiosidade e atração mútuas apenas para, instantes mais tardes, serem separados pelas trajetórias divergentes de seus donos.

A partir daí, uma espiral de adversidades vai de encontro ao personagem-título, que, inerte, fica sujeito à sorte e à ajuda de alguns outros componentes vivos daquele cenário, que compadecem pelo infortunado guarda-chuva e resolvem intervir para evitar que este seja massacrado por carros ou pedestres. A trama preguiçosa e os personagens vazios, porém, dificultam o envolvimento do espectador, que se vê obrigado a admirar um enorme preciosismo técnico a serviço de um projeto risível.

The Blue Umbrella, EUA, 2013 | Dirigido por Saschka Unseld.