6 de maio de 2011

Análise dos rankings dos últimos anos

Enquanto procurava fotos para as postagens dos melhores e piores que publiquei recentemente tive, pela primeira vez, a chance de ver um panorama geral (antes sempre olhava para cada ranking isoladamente) dos altos e baixos dos últimos anos - e, após ver as incríveis semelhanças entre as imagens dos 1º e 2º piores de 2008 (comparação abaixo), conclui que divagar sobre certas aparições e recorrências seria um exercício divertido. E como se trata de uma análise da minha própria opinião, pode não corresponder às preferências de todos.

Uma gostosa, um protagonista barbudo e um figurante - com pilares ao fundo.

Dos 80 filmes citados, 16 foram lançados diretamente para home video. Esse número, de certa forma, demonstra que as distribuidoras têm uma boa noção de mercado, já que 13 estão bem posicionados entre os piores e provavelmente afundariam nas bilheterias brasileiras. Porém, dentre os outros 3 está Guerra ao Terror - e seu lançamento direto em DVD foi imperdoável, mesmo que tenha voltado aos cinemas quase um ano depois em função da temporada de premiações.


O badalado Judd Apatow (O Virgem de 40 Anos) aparece com duas contribuições que quase representam os extremos de sua carreira como produtor: Superbad - É Hoje, 3º melhor de 2007, e Ano Um, 7º pior de 2009.

Woody Allen, que já nos presenteou com obras admiráveis como Match Point, lamentavelmente só surgiu com uma menção - e negativa, por seu péssimo Scoop - O Grande Furo. Suas demais obras produzidas nos anos em questão (O Sonho de Cassandra, Vicky Cristina Barcelona e Tudo Pode Dar Certo) não tiveram força o bastante para se destacarem mas, pelo menos, ficaram acima da média.


Christopher Nolan, David Fincher e José Padilha se estabelecem como alguns dos melhores diretores da atualidade surgindo cada um duas vezes entre os melhores. No extremo oposto e também com duas aparições, a dupla Jason Friedberg e Aaron Seltzer prova que a onda de comédias satíricas iniciada há mais de dez anos pelos irmãos Wayans (que também surgem liderando os piores em 2010 com uma sátira a musicais) está insatisfeita com o fundo do poço, buscando ir além.

Comédias exageradas, satíricas ou românticas, terror, remakes, continuações e adaptações de séries de TV. Esta pequena lista descreve quase a totalidade dos filmes ruins. Quando desenvolvidos com seriedade e competência, exemplares que se enquadram nessas mesmas categorias alcançam um lugar ao sol, como Toy Story 3, Tropa de Elite 2, Speed Racer, Batman - O Cavaleiro das Trevas e Violência Gratuita.

Se Up - Altas Aventuras fosse um pouquinho melhor, a Pixar dominaria soberana.


Os filmes brasileiros tiveram boa presença, mas inconstante: 4 ótimos e 4 péssimos. Já obras de outras nacionalidades demonstraram mais força, surgindo sempre bem colocadas, sejam da Suécia, França, Austrália, Argentina ou Alemanha.

Em especial, 2010 permitiu uma interessante análise do cinema brasileiro. As Melhores Coisas do Mundo e High School Musical: O Desafio foram lançados no mesmo ano e abordavam a vida de alunos de Ensino Médio - com resultados diametralmente opostos. É uma experiência que recomendo: assistir aos dois e comparar intenções artísticas e narrativas, roteiros, técnicas, execuções e resultados finais.